O que cá se escreve não é para ser levado a sério!!!!

sábado, 27 de dezembro de 2014

PTP - Panos Trapos e Politiquices‏

Uma pessoa anda desaparecida. Sim! Eu sei! Mas é que esta época natalícia é tão recheada de convívios hipócritas que me suga toda a energia para qualquer outra coisa. Bendita aquela cidade chinesa onde proibiram a celebração do Natal, para não lesar as tradições locais. É que nem sabem a sorte que têm! Mas "prontes", cada civilização tem a sua sina...
E estando na véspera de fazer UM ANO de blog (sim meus queridos, a idade já pesa), está na altura de vos oferecer um miminho, que vocês bem merecem.
O PTP, esse partido (que também já foi barriga de aluguer, mas de parasitas, como aqueles do "Alien") sorvedouro de dinheiros públicos, onde os assessores ganham para lá de 2000 e tal euros (e alguns mais de 3000), tem um código de vestimenta muito elevado. É que tem mesmo! A predominância dos padrões é leopardo/tigresse/zebra/cobra nas indumentárias femininas, nas masculinas a "moda" já é outra. Ora vejamos:

O inesquecível deputado Rocha (por onde você, Rocha? Ainda é vivo? Já está morto?) apresenta-se com umas calças de "cor de burro a fugir", uma camisa listrada, um casaco de "ir apanhar erva", terminando com um chapeu de mágico. A magia realizada foi desaparecer da face do planeta Terra e ainda continuar a receber ordenado. Reparem como aquele semblante mal-amanhado está a condizer com o recanto do cenário. Se eu não conhecesse a figurinha, ainda pensava que ele tinha sido arregimentado ali mesmo para fazer número. 
Coelho armado em homem da agência funerária (fujam, velhinhos, fujam), enverga uma gravata roxa e o deputado Rocha como uma t-shirt do Che Guevara. Está visto que ainda não tinha perdido alguns tiques da tal "esquerda caviar" de onde era proveniente. Já deve estar arrependido, não é? Mas deixe estar que os seus amigos do Bloco até agradecem.
Quintino Costa, conhecido pelas suas facetas artísticas, mais concretamente por ser um malabarista de primeira, apresenta-se com uma indumentária de bradar aos céus. Uma vestimenta que retrata fielmente o pessoal do Jardim da Serra (atenção: nada contra o Jardim da Serra, onde se bebe a melhor ginja da Madeira). Este não deve ter quem olhe por ele em casa, coitado. Com tanto dinheiro e nem sequer um simples assessor de imagem consegue arranjar? Ou então que arranje algum amigo gay (atenção Quintino: é um amigo gay, não uma lapa bicharoca) para orientá-lo nestas coisas das vestimentas.
No jantar de Natal do PTP, foi bem visível o (ab)uso exagerado do padrão tigresse (em duas versões: palito e anafado) e com uma variante roxa(!). Cuidado para não ferirem a vista, que isto é hardcore, 1º escalão.
Nos encontros do PTP é obrigatório o uso de padrão, e se for possível em coletes de pêlo. Eu só imagino esta plateia vista da mesa... Deve dar a ideia que estão numa selva ou algo assim.
A deputada Raquelinha também entregou-se à directiva de acessórios e roupa de padrão. Está tudo explicado. Ainda bem que isto é uma foto, porque se fosse um vídeo, a rapariga estava logo a esganiçar.
Uma outra assesora a envergar uma rica farda. Só do melhor.
Raquel Coelho sempre vai alterando os padrões, aqui num lindérrimo vestido de padrão zebra. Convém usar óculos de soldar para encarar isto de frente. Não sei porquê, mas aquela pose mata-me de tanto rir.
Nem a Cátia e a Dolores Aveiro têm tanto padrão no vestuário como o PTP inteiro. Topem só aquilo...
Mais uma echarpe de padrão, já ando a vomitar tanto leopardo.
José Manuel Coelho faz umas combinações espectaculares. Ora as calças de uma cor, o casaco de outra e finaliza com uma gravata de cor verde-néon. Protejam a vista, meus amigos...
No jantar de Natal, foi ainda possível admirar padrões de azul, uma novidade exclusiva do PTP. Se calhar a lançar uma linha assim para o psicadélico.
Até em casacos de fato de treino é possível ter um padrão de leopardo. De salientar a excepcional elegância da mulher do deputado Coelho.
As golas à "camões", muito em voga, são possíveis ajustar em homens... e até em aldrabões e pequenos escroques. Quem o demonstra é Quintino Costa. E as calças à boca de sino voltam agora em grande força. 
E finalizamos com mais um exemplar... A PETA devia era fazer queixa de tanta chacina ao padrão leopardo.

Está visto que se tudo der errado em 2015, o PTP sempre pode abrir uma multinacional em roupa de alta costura. Porque a baixa política, tal como a mentira, não irá render para todo o sempre.

2 comentários:

Anónimo disse...

Este documento deverá ser enviado para a UNESCO e Greenpeace de forma a documentar a descoberta dos últimos exemplares do Lince da Malcata em território nacional, maIs propriamente nas fileiras do PTP.

AvoGI disse...

Mas o chinês fez promoção?
Kis :>)