O que cá se escreve não é para ser levado a sério!!!!

terça-feira, 9 de dezembro de 2014

E bananas???

Ai meus amores lindos!
O meu computador já está a regressar lentamente ao seu "normal" funcionamento. Isto de se ser pobre e andar sempre a travar nos ferros da carteira, não é fácil. É que não é mesmo! Mas ainda não perdi a esperança de um dia não precisar de contar tostões e passar a descontar milhares (ou milhões).
Este ano as prendas de Natal já foram compradas para os crianços cá de casa: uma enxada e uma foice. Dizem que é preciso dotá-los de ferramentas para a vida, por isso nada melhor do que os instrumentos da agricultura para aprenderem umas coisinhas sobre a vidinha. Que isto de andar a cultivar com muito amor e carinho, e na hora de colher vir assim do nada uma tempestade e destruir toda a colheita, ensina-nos muito sobre a frustração, injustiça e a grandeza (madrasta) da Natureza. Dizem que o temporal destruiu grandes terrenos de bananeiras no oeste, mas quem se importa com isso? Só mesmo quem tem percas astronómicas, o que está a dar é falar sobre as iluminações de Natal, pois o assunto "banana" não é tão apelativo. Até porque Manuel António já tem umas duzentas soluções para o problema, mesmo que o comum agricultor seja o único a não beneficiar de tais soluções milagrosas. Mas quem tem a cabeça a prémio é a Conceição Estudante. Sobre o "Cuba Livre" não vi tanta revolta nas ruas, como por causa de umas luzinhas coloridas em época natalícia. Mas também ainda nem vi as ditas iluminações, verdade seja dita. Mas estando numa terra onde toda a gente fala sem ter conhecimento de causa sobre os assuntos, porque raio é que eu não terei toda a legitimidade para falar de uma coisa que ainda nem vi? Pois claro! Dizem que é uma imitação das iluminações de Berlim. Olha, como nunca fui a Berlim no Natal, veio o Berlim do arquitecto instalar Berlim no Funchal. E seremos nós menos que os outros? Madeirenses e alemães não são europeus em igualdade de circunstância? Exacto! Resta saber se lá por Berlim, as iluminações são uma cópia das iluminações do Funchal do ano passado.

Alberto João Jardim veio anunciar a sua suposta demissão em Janeiro, e como eu queria tanto que assim fosse. Só para poder apreciar o gozo que será esta próxima campanha eleitoral. Ver os partidos todos desorientados a levar a cabo campanhas medíocres, lançar candidatos mais desconhecidos do que os candidatos das várias listas do delfinário do PSD. Dr. Albertinho meu querido, se me lê demita-se mesmo, pois preciso de assunto para o blog e nada melhor que uma campanha eleitoral cheio de candidatos sedentos para governar uma terra falida mas com um povo bem "agachado". E tendo um povo que  tem opinião sobre tudo mas acção nula, é o suficiente para qualquer ganancioso candidatar-se. Estou certa ou estou errada? Ah, e André Freitas: vá gozando os poucos dias que, eventualmente, ainda lhe sobram, já que depois de sair mais o chefe, não há cartão que o safe na rua. Aproveite e leve alguns dos Cohiba lá da caixinha dos charutos.

Eu queria escrever umas linhas sobre aquele tal organismo de mulheres do CDS que foi chumbado em pleno congresso. Então o congresso não é o órgão máximo de todos os partidos? Pelo menos dos partidos que fazem congresso. Mas é! Enfim, mas o assunto não requer muita preocupação. Desde que o CDS, continue a fazer o jantar de dia 8 de Março, com o bilhete a 5 euros com direito a buffet e vinho até não mais, ninguém se chateia. O que a mulherada (e é tudo ao molho, até fulanas que andam noutros partidos) quer é enfiar a paparoca pela goela abaixo, aumentar uns centímetros de anca, arreganhar a tacha e passar a mão pelo lombo do Zé Manel Rodrigues. Ai!, se ainda fosse o Gonçalinho... Desculpem!, bem sei que isto já parece ressabiamento a mais. Admito que sim! Mas o espírito natalício ainda não caiu em mim, ainda não encarnou neste corpinho de sereia com bumbum arrebitado. E pela quantidade de vezes que a árvore de Natal já caiu cá em casa por causa das correntes de ar, este ano não haverá espírito natalício que se apodere aqui da Tia Placa Central (que o digníssimo esposo nem sonhe com isto, senão ainda anda aqui por casa de caçadeira a ver se apanha o estapilha do espírito... bem, se o espírito tivesse o corpinho e a carinha do George Clonney... sossega coração!). Por acaso, até recebi de herança umas poucas de gambiarras de Natal todas coloridas, ainda falei com o meu marido que devíamos coloca-las no terreno em que jazem milhares de bananeiras derrubadas, assim no género de uma instalação artística, se calhar até dava para depois o Fábio Carvalho organizar uma passagem de modelos, assim no meio da natureza, como foi nas Vespas. Mas ele desenganou-me logo com aquele "ai amor, mas já ninguém quer saber do prejuízo da banana!" dito com a voz rouca e sexy do frio que apanhou na Choupana, quando lá foi ver o Nacional - Marítimo à conta de um bilhete à borla que o patrão lhe arranjou.

E por falar em Nacional, quem não viu Sua Excelência o Engenheiro Rui Alves a chorar baba e ranho, não sei se comovido com a homenagem que lhe fizera, com os elogios que lhe teceram, com as saudades das longas noitadas no Fugitivo ou com o dinheiro que perdeu ao sair da Câmara para meter-se no desporto, no jantar dos 104 anos dos alvinegros? Adoro ver um homem a chorar, confesso: comove-me quando é por sentimento e excita-me quando é por humilhação. Mas querido Engenheiro, por favor!, evite fazer mais daquelas cenas em público. É que nem o outro engenheiro, que nos andou a lixar anos e anos e agora está de repouso, por ordem do juiz, em Évora. Peço-lhe que faça esse obséquio a uma mãe sofrida. A Humanidade agradece.

Tenho umas coisas para fazer esta semana sem falta, uma surpresa para os leitores da Placa Central, mas talvez me dedique a juntar bananeiras. Mas quem é que quer saber das bananas?

3 comentários:

AvoGI disse...

Monta uma fábrica pra tirar a curvatura das bananas. Qual o madeirense que não host de bananas?
É um regalo vir aqui, fico a saber da vida politicp-cu.ltural da arrastadeira mamadeira
Kis:=)

Anónimo disse...

Não se preocupe, diz-se que Jardim procura um pretexto para impugnar as eleições internas e volta todo ao mesmo, com os candidatos actuais a chorar baba e ranho e uma oposição a continuar a dar tiros nos pés e a desperdiçar um momento único.
Quanto à cultura da banana, passe pela Casa do Povo o quanto antes e jure a pés juntos que Manuel António é uma inspiração e é um desígnio do Altíssimo a sua ascendência à Quinta Vigia. Depois é só esperar pelo cheque do POSEIMA no correio

Placa Central disse...

Eu adoro receber comentários destes, inteligentes! Queria muito que o AJJ, fosse de carrinho. Mas francamente, também, parece-me que não! Vou seguir o seu conselho sobre a Casa do Povo. Bjinhos